Estudo de Viabilidade Econômica Para um Projeto de Aqüicultura em regimes

 Semi-intensivo e intensivo

 Pirarucu e Jacaré açú

Setor da Economia: Primário

 

Carlos Duarte

1 – Identificação da Oportunidade

2 - Introdução

3 - Situação atual

4 - Propósito do Projeto

5 - Bases do Projeto

6 - Indicativos Econômicos e Financeiros

7 - Especificação dos Benefícios

8 - Investimento

9 - Ponto de Equilíbrio

10 – Lucro líquido projetado

11 - TIR ( Taxa Interna de Retorno )

12 - Projeções Financeiras para 30 meses

13 – Risc

14 - Concorrência

15– Tabelas Estatísticas

16 – Prazos de Implantação

17 - Cronograma Financeiro/Metas

18 - Abrangência do Projeto Técnico

19 - Informações Complementares

20 – Dados Econômicos, Financeiros e Mercadológicos,sobre o

Brasil

21 – Capital Estrangeiro e Remessa de Divisas ao Exterior

22- Considerações Finais

23 - Fontes de Pesquisa

24 - Anexos

 

1 – Identificação da Oportunidade

Poucas dúvidas existem de que a crise do novo milênio será ( está sendo ) a da alimentação .

A explosão demográfica é uma realidade, a produção de alimentos não supre as necessidades Mundiais e o Mundo tem fome ! África e Ásia são continentes desgastados pela inanição !

O custo de produção de proteína animal é alto e praticamente inacessível às camadas carentes do 3º Mundo.

Um dos poucos Países em condições de produzir alimentos (proteína animal ) de forma sustentável e a baixo custo, para suprir grande parte das carências Mundiais, é o Brasil – Amazônia.

A Amazônia, pelas suas particularidades – Ambiente ecológico perfeito, diversidade genética e biológica, potencial hídrico e agro-pastoril – vem cada vez mais , sendo objeto de cobiça internacional.

Somente o Estado do Amazonas possui uma rede hidroviária de mais de 45.000 Km, com grande potencialidade para o desenvolvimento da Aqüicultura em todos os seus ramos e diversidades, em escala comercial. Possui mais de 2.000 espécies de peixes catalogados, dos quais não mais de 50 espécies são explorados comercialmente.

O povo da Bacia Amazônica tem no pescado a sua maior fonte alimentar, consumindo em média 60 Kg de peixe por ano/capita, o que torna a atividade pesqueira uma das principais fontes de renda da população ribeirinha.

O Pirarucu ( Arapaima gigas ou Sudis gigas ), que na língua Tupi significa “peixe vermelho” , é o maior peixe de escamas do Brasil. Tem formato comprido e volumoso, chegando a atingir mais de 2m e até 200 Kg de peso.Sua carne é deliciosa, fresca ou salgada, conhecida como bacalhau Brasileiro, constituindo-se inclusive, numa das grandes riquezas dos Estados do Norte do Brasil, pois não só serve de base alimentar às populações que vivem às margens dos rios, como também é um produto exportável, de grande procura no mercado exterior

O couro tem grande procura nos mercados Nacional e Internacional, pelas indústrias de moda, calçados e bolsas.

A língua óssea, usada para ralar o guaraná e as escamas , são usados em trabalhos artesanais.

A sua pesca é feita de forma totalmente artesanal, utilizando-se o arpão, tendo em vista o seu sistema complementar de respiração aérea, que o obriga a vir com freqüência à tona para respirar, tornando-se preza fácil para os pescadores.

Devido ao seu alto valor comercial na Amazônia, a sua pesca intensiva e predatória vem contribuindo sobremaneira para a sua escassez, pois a captura vem ocorrendo antes mesmo que entre em fase de reprodução, ou com total desrespeito por épocas de defeso ou desova, o que tem gerado grande preocupação aos órgãos fiscalizadores.

Os pescadores artesanais, hoje para capturar o Pirarucu, têm que ir mais longe e se contentar com espécimes de menor porte.

2 – Introdução

O IBAMA está criando uma “ Reserva Ecológica de Desenvolvimento Sustentável “, perto da cidade de Porto Velho-RO, que tem como objetivo a preservação ambiental, sustentada pelo extrativismo ; a população local, tendo como fonte de renda a extração sustentável de produtos locais e fiscalizando a área, à priori inibe a extração predatória de madeiras, derrubadas indiscriminadas para pastos e outras agressões ao Ecosistema.

Para atingir plenamente esses objetivos, o Ministério do Meio Ambiente, através do IBAMA/CNPT – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente/Centro Nacional de Desenvolvimento Sustentado das Populações Tradicionais, procura parcerias com a iniciativa privada, para a implantação de projetos de extrativismo sustentável, colaborando com :

•  Toda a assistência técnica necessária, antes, durante e depois da implantação do projeto;

•  Fornecimento de alevinos e matrizes para a criação das espécies;

•  Treinamento do povo da região no manuseio de todo processo: criação,

abate, corte, aproveitamento de carne, couro e produtos de 2 ª linha, para uso em rações, fertilizantes orgânicos, etc;

•  Fornecimento do “Selo Verde “, o selo do MME/IBAMA, que certifica

ser o produto de origem sustentável – criação em cativeiro – de acordo com as Leis do Meio Ambiente e portanto não ofensivo ao equilíbrio ecológico, e que garante a aceitação para comercialização nos mercados de 1º Mundo.

A Reserva Ecológica dá prioridade em investimentos em:

•  Piscicultura de espécies características da Bacia Amazônica;

•  Aqüicultura de Jacaré Açu;

•  Aqüicultura de Quelônios;

•  Criação em Cativeiro de mamíferos da região;

•  Turismo Ecológico;

•  Hotelaria de Selva.

Fatores que justificam o Estudo Econômico:

•  Potencial hídrico satisfatório, ótimas condições Físico-Químicas e climáticas para implantação e desenvolvimento do projeto;

•  Disponibilidade de matrizes de Jacaré Açu (Melanosuchos niger);

•  Superpopulação natural dos estoques da população de Jacaré na bacia hídrica da região e do Estado, uma superpopulação que inclusive coloca em risco a população local e ribeirinha, além de contribuir para o desequilíbrio ecológico de outras espécies, necessitando, portanto, de manejo sustentável – utilização imediata do contingente existente para fins comerciais e industriais, com a reposição posterior e equilibrada em níveis normais;

•  Produção de alevinos de Pirarucu (Arapaima gigas), para atender à demanda do projeto;

•  Existência de infra-estrutura natural para recria e engorda de Pirarucu e Jacaré;

•  Escassez de carne de Pirarucu para abastecimento do mercado local, estadual, regional e Nacional;

•  Grande procura nos mercados internacionais – Japão, China, Coréia do Sul, Comunidade Européia – por carne de Jacaré;

•  Demanda muito maior do que a oferta, por couro de Jacaré e de Pirarucu, por parte das indústrias de calçados, artefatos de couro e confecções;

•  Total aproveitamento comercial/industrial das espécies;

•  Disponibilidade de tecnologia agrícola e gerencial para a produção, beneficiamento e industrialização de alimentos e seus derivados;

•  Produção de ração para suprir a demanda do projeto;

•  Absorção de mão de obra rural local, e conseqüente geração de emprego e renda para o Município, Estado e País;

A revista Veja ( Editora Abril ) de 22 de Agosto de 2001, traz uma reportagem na rubrica Ecologia, sob o título “ A Floresta dá Dinheiro” (Pág.76 a 81 ). Nessa reportagem , em síntese diz:

“ Hoje é possível ter avaliações científicas para estimar quanto a Amazônia pode render, num futuro visível, se for feito o chamado aproveitamento racional, que busca tirar riquezas preservando o Ecossistema. Trata-se de uma montanha de dinheiro. O Brasil poderá tirar da Amazônia recursos no valor de 1,28 Trilhões de Dólares por ano, mais de duas vezes o atual PIB _ Produto Interno Bruto do país. Esse é o total a que se chega, somando:

Petróleo 650 Trilhões de Dólares

Medicamentos e Cosméticos 500 “ “

Agricultura e Extrativismo 50 “ “

Minérios 50 “ “

Carbono 19 “ “

Turismo 13 “ “

Madeira 3 “ “

TOTAL 1,28 Trilhão de Dólares

No que respeita a minérios, esse é o estoque já conhecido, e segundo os especialistas, há muito mais minérios sob a floresta do que os recursos já registrados. O volume real dos minérios da Amazônia, é virtualmente desconhecido, diz o presidente da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais, Umberto Raimundo da Costa. Com o início das operações dos aviões do SIVAM – Sistema de Vigilância da Amazônia que serão capazes de sondar parte da camada de solo, logo abaixo das raízes das plantas, os números podem aumentar duas vezes. Com pesquisas mais profundas, é incalculável em até quanto pode ser majorado o cálculo das reservas.

Na área do Turismo, o Ministério do Meio Ambiente calcula que o Turismo Ecológico pode render ao Brasil 13 Bilhões de Dólares por ano. Fazendeiros que trocaram a criação de gado pela construção de Hotéis de Turismo Ecológico, estão faturando três vezes mais e empregando dez vezes mais pessoas. Um fazendeiro que criava 10.000 cabeças de gado e faturava Us$ 500,000.00 por ano, fatura agora Us$ 1,500,000.00 com pacotes para a pesca de Tucunaré e de observação de Onças. Além dos Pescadores Esportivos, os Ecologistas são também grupos de afluência crescente aos Hotéis Ecologicamente Corretos.

Na área da Biotecnologia, cita-se o exemplo da Aranha-armadeira que, com apenas 5cm de comprimento produz um poderoso veneno. Esse veneno, segundo as pesquisas conduzidas pelo Departamento Farmacológico da Universidade de Minas Gerais, dá origem a um eficiente analgésico que poderá valer Us$ 4,000.00 por grama quando se tornar medicamento. O mercado para esse remédio específico é calculado em Us$ 200 Milhões.

O presidente da Associação Brasileira das Empresas de Biotecnologia, Antônio Paes de Carvalho, calcula que serão patenteados na próxima década, pelo menos 10.000 substâncias com valor para as indústrias Farmacêutica e Química, encontrados na Amazônia.

Mesmo que o Brasil apenas licencie a produção de 100 patentes, pode vir a ganhar mais de Us$ 1 Bilhão por ano.

O mercado aposta em que, assim como as duas últimas décadas foram dominadas pela informática, as próximas serão revolucionadas pelas propriedades das substâncias encontradas nas plantas e animais da região. Mais de 3.000 animais são encontrados por ano escondidos nas bagagens de visitantes estrangeiros que se preparam para embarcar em aeroportos do Norte do Brasil.

3 – Situação atual

Embora a Bacia e Floresta Amazônica representem o Sistema Ecológico perfeito – máxima interação e completo ciclo de vida no mínimo espaço – onde a reposição natural das espécies é imediata, alguns animais, como por exemplo, o Pirarucu, mostram-se cada vez mais difíceis de capturar, dado a grande procura e captura desestruturada por parte da população local, pois constituem itens básicos e preferenciais na culinária regional.

O Pirarucu , chamado de Bacalhau da Amazônia, até há duas ou três décadas atrás, era freqüentemente encontrado em dimensões exuberantes – mais de 2m e com peso na casa dos 200 Kg. Atualmente, os espécimes capturados in natura pelos pescadores artesanais, mal chegam aos 20 Kg.

Jacaré , é a situação inversa. No início da década de 70, o Jacaré Açu foi vítima de caça implacável por parte dos denominados coureiros – caçadores clandestinos que só aproveitavam o couro do bicho. Leis restritivas e protetoras por parte do IBAMA, bem como uma contagem muito esparsa e de pouca acuidade da quantidade de indivíduos da espécie, tiveram como efeito uma quase explosão demográfica que, além de desequilibrar as espécies das quais se alimentam, ainda os fazem atacar e colocar em risco as populações locais. As Leis de proteção e restrição foram também iguais para o País inteiro, e não apenas para os lugares em que o Jacaré, a continuar a caça predatória, estaria em risco de extinção.

4 – Propósito do projeto

Fazer uma aqüicultura de manejo sustentável, que equilibre a interação ecológica, preserve o Meio Ambiente, gere empregos e renda para a população local e conseqüentemente para o Município, Estado e País.

Tirar proveito do que a natureza pode fornecer, de forma equilibrada e racional, sem agressão nem destruição do Ecossistema.

Tirar partido do potencial natural e imediato que a região oferece: disponibilidade de alevinos e matrizes, a existência de infra-estrutura para recria e engorda das espécies pretendidas, disponibilidade de tecnologia para produção, beneficiamento e industrialização dos produtos.

5 – Bases do projeto

O projeto baseia-se essencialmente na muito maior procura do que oferta nos mercados locais para a carne de Pirarucu, pela grande procura nos mercados Asiáticos e da CEE pela carne de Jacaré, e pela grande procura Nacional e dos mercados do exterior, pela pele de Jacaré e Pirarucu.

No aproveitamento total da produção – o ensilado do desperdício, é a matéria prima para a fabricação de ração para animais aquáticos carnívoros, bem como de adubos e fertilizantes orgânicos.

A carência de produção de pescado na Região Norte do Brasil, é de 600.000 Ton. por ano, e a produção em cativeiro é de cerca de 3.000 Ton. por ano. A estatística de consumo de peixe na Amazônia é de 194 gr/ dia Per Capita.

80 % da carne de Pirarucu produzida e capturada, é consumida nas duas maiores cidades da Bacia Amazônica: Manaus e Belém. 17% é consumida em todas as outras cidades e focos populacionais, e 3% é exportada salgada, principalmente para o resto do País.

As mantas de Pirarucu salgadas, têm uma grande demanda, não atendida, nos países Africanos.

6 – Indicativos Econômicos e Financeiros

Benefício bruto em 30 meses

- Receita com a produção de carne de Jacaré..............Us$... 3,696,000.00

- Receita com a produção de pele de Jacaré............... Us$... 4,000,000.00

- Receita com a produção de ração de Jacaré............. Us$...... 295,680.00

- Receita com a produção de carne de Pirarucu........... Us$. 10,440,000.00

- Receita com a produção de pele de Pirarucu .............Us$... 2,400,000.00

- Receita com a produção de ração de Pirarucu........... Us$...... 201,600.00

 

Total Us$ 21,033,280.00

Custo de Produção 12 % de benefício bruto Us$ 2,523,993.60

Lucro bruto projetado em 30 meses Us$ 18,509,347.-

7 – Detalhamento dos benefícios

7.1 Jacaré Açu

7.1.1 Carne de Jacaré

•  Número de matrizes: 1.200 exemplares

•  Número de exemplares jovens 160.000

•  Área utilizada 8,0 hectares

•  Produção de carne em 30 meses: 160 Ton

•  Peso médio por exemplar em 30 meses: 22 Kg

•  Rendimento para o produtor:

30% x 160.000 x 22 = 1.056.000 Kg de carne

1.056.000 x Us$ 3,50 = Us$ 3,696,000.-

 

7.1.2 Pele de Jacaré

•  160.000 peles de Jacaré com aproximadamente 1m em 30 meses

•  160.000 x Us$ 25.00 = Us$ 4,000,000.00

•  Produção de ensilados de desperdício

•  1.760.000 Kg de matéria prima para fabricação de ração

•  60% x 1.760.000 = 1.056.000 Kg

1.056.000 x Us$ 0.28 = Us$ 295,680.00

 

7.2 Pirarucu

7.2.1 Carne de Pirarucu

•  100 tanques rede com volume unitário de 300 m3 cada

•  Densidade populacional: 5 exemplares de Pirarucu com 1 Kg por m3

•  Produção bruta de pescado em 30 meses:

150.000 exemplares x 20 Kg = 3.000.000 Kg

•  Rentabilidade para o produtor:

58% x 3.000.000 = 1.740.000 Kg

1.740.000 x Us$ 6.00 = Us$ 10,440,000.-

7.2.2 Pele de Pirarucu

•  150.000 peles com 120 cm em 30 meses

•  150.000 x Us$ 16.00 = Us$ 2,400,000.-

7.2.3 Ensilado de Pirarucu

•  720 toneladas em 30 meses

•  720.000 x Us$ 0,28 = Us$ 201,600.-

Preços pesquisados dos produtos concernentes ao projeto

- Kg da carne de Jacaré, preço internacional FOB.......... .Us$ 3.50

- Preço da pele de Jacaré com 1 m, mercado interno.... Us$ 25.00

- Preço do Kg de ensilado para ração,mercado interno... Us$ 0.28

- Kg da carne de Pirarucu, mercado Interno.................. Us$ 6.00

- Preço da pele de Pirarucu,por metro,mercado Interno Us$ 13.24

Os valores cambiais usados foram: Us$ 1.00 = R$ 2,00

8– Investimento

Custo de Implantação do projeto

- Valor para a implantação do projeto,incluindo-se todas as obras de infra estrutura necessárias à viabilização, bem como a compra de imobilizado................................................Us$ 862,000.00

- Construção de acessos – estradas, pontes etc ..............................................Us$ 100,000.00

- Preço de consultoria e assistência técnica ......................................................Us$. 128,000.00

- Aquisição de viaturas Pick Up ........................................................................Us$. 90,000.00

- Custo de mão de obra em 30 meses .............................................................Us$ 420,000.00

Total .......................................................................................................Us$ 1,600,000.00

9- Ponto de Equilíbrio

A fórmula para achar o ponto de equilíbrio é:

Cf

BEP = --------------------

Pt – Cve

Onde :

BEP -------------------- Produto Apurado

Cf ----------------------- Despesas em 30 meses

Pt ----------------------- Preço dos Produtos do projeto

Cve --------------------- Custos médios variáveis ao ano + - 12 %

9.1 Para a carne de Pirarucu, o Ponto de Equilíbrio em 30 meses é :

30% do investimento + 30% do custo 480.000,00 = 757.197,90

BEP= ------------------------------------------------ = --------------------------------

12,00 – 1,44 10,58

1.237.197,90

BEP = ---------------------- = 117.158,89

10,58

O Ponto de Equilíbrio para a carne de Pirarucu em 30 meses, é uma produção de 117.158,89 Kg.

A produção prevista pelos especialistas é de 1.740.000 Kg

9.2 O Ponto de Equilíbrio para as peles de Pirarucu é :

1.237.197,90 1.237.197,90

BEP = ---------------------- = ----------------------- = 43.934,58

32,00 – 3,84 28,16

Em 30 meses, o ponto de equilíbrio para as peles de Pirarucu, é uma produção de 43.934 peles.

A produção prevista pelos especialistas é de 150.000 peles.

•  O Ponto de Equilíbrio para a carne de Jacaré é :

1.237.197,90 1.237.197,90

BEP = ---------------------- = -------------------------- = 200.843,81

7,00 – 0,84 6,16

Em 30 meses, o ponto de equilíbrio para a carne de Jacaré é uma produção de 200.843,81 Kg .

A produção prevista pelos especialistas é de 1.056.000 Kg .

•  O Ponto de Equilíbrio para as peles de Jacaré é :

1.237.197,90 1.237.197,90

BEP = ----------------------- = ------------------------- = 28.118

50,00 – 6,00 44,00

Em 30 meses, o ponto de equilíbrio para a produção de peles de Jacaré, é de 28.118 peles.

A produção prevista pelos especialistas é de 160.000 peles.

•  – Lucro Líquido Projetado (LL) em 30 meses :

A fórmula para achar o Lucro Líquido é:

LL = LB – CF

Onde:

LL ---------------- Lucro Líquido

LB ---------------- Lucro Bruto

CF ---------------- Custo Fixo (de produção)

10.1 Para carne de Pirarucu o LL é:

LL = LB – CF(12% do LB)

LL = 10,440,000.00 – 1,252,800.00

LL = Us$ 9,187,200.00

10.2 Para a pele de Pirarucu o LL é:

LL = 2,400,000.00 – 288,000.00

LL = Us$ 2,112,000.00

•  Para a carne de Jacaré o LL é:

LL = 3,696,000.00 – 443,520.00

LL = Us$ 3,252,480.00

•  Para o couro de Jacaré o LL é:

LL = 4,000,000.00 – 480,000.00

Us$ 3,520,000.00

11– Taxa Interna de Retorno (TIR)

A fórmula para a Taxa Interna de Retorno é:

LL x 100

TIR = ------------------

P

Onde
TIR ------------------ Taxa Interna de Retorno

LL ------------------- Lucro Líquido

P --------------------- Capital Investido

18,509,347,00 x 100

TIR = ------------------------------

800,000.00

TIR = 2.313,66 %

12– Projeções Financeiras para 30 meses

- Estudos limnológicos e topográficos, projetos técnicos, estudos de águas e solos - 5 % .................................................................. Us$ 80.000,00

- Obras de Construção Civil, aterros e terraplanagens- 23% Us$ 368.000,00

- Compra de equipamento permanente e maquinário, grupos geradores, moto bombas, kit de medição de Ph, kit de avaliação química e física, oxímetro, laboratório portátil, balanças, mobiliário, 2 barcos de alumínio, 2 motores de popa de 40 HP, 3 viaturas Pick Up 4WD, microcomputador, fogão, freezer, geladeira etc – 36 % ................................................................Us$ 576.000,00

- Material de consumo: 100 tanques rede em aço inox revestidos de PVC, flutuações, estruturas de madeira para estrados, pontes e passarelas entre os tanques, compra de alevinos e matrizes, kit de pesca, material de escritório, gasolina, diesel e óleos – 21 % ................................................Us$ 336.000,00

- Serviços: conselheiros técnicos, transporte de alevinos e matrizes, transporte de ração, assistência técnica, cursos de preparação técnica para trabalhadores, serviços de limpeza etc – 8 % ........................... Us$ 128.000,00

- Serviços Administrativos, Contábeis e Gerenciais – 7 % ......Us$ 112.000,00

Total 100 % Us$ 1.600.000,00

13 – Risco

O risco do projeto é confinado a uma administração displicente.

O SEBRAE - Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, classifica a criação de Pirarucu e de Jacaré em cativeiro, como “ investimento de baixo risco “.

14 – Concorrência

Não há concorrência para os produtos concernentes ao projeto, todos eles com uma demanda muito maior do que a oferta.

15 – Tabelas Estatísticas

Pescado de água doce na Amazônia, em Toneladas – ano 1996

Sistema extrativo Criação em cativeiro Total

Rondônia 5.020,5 1.130,0 6.150,5

Acre 1.380,0 400,0 1.780,0

Amazonas 62.904,5 210,0 63.114,5

Roraima 64,0 30,5 94,5

Pará 34.288,0 150,0 34.438,0

Amapá 3.939,0 0,0 3.939,0

Tocantins 1.111,0 306,0 1.417,0

Totais 108.707,5 2.226,5 110.934,0

Captura de Pirarucu em Toneladas – ano 1996

Rondônia 50,0

Acre 27,5

Amazonas 207,5

Roraima 0,0

Pará 28,5

Amapá 33,5

Tocantins 44,0

Total 391,0

Fonte : Estatísticas de pesca do IBAMA, ano 1996

Embora a estatística não seja atualizada, os números destes últimos 5 anos não são muito diferentes.

16 – Prazos para entrega de projeto técnico e de implantação

•  O prazo para elaboração e entrega do projeto técnico é de 60 dias após a assinatura do contrato.

•  O prazo para a implantação do projeto técnico, é de 120 dias após a liberação dos recursos financeiros.

17 – Cronograma Financeiro/Metas

2001 2002 2003 2004

-Implantação do projeto 100

- Aquisição de material permanente 100%

- Aquisição de material de consumo 60% 20% 10% 10%

- Aquisição de ração 60% 30% 10%

- Serviços técnicos 40% 20% 20% 20%

- Serviços contábeis e administrativos 40% 20% 20% 20%

- Cursos de capacitação 50% 50%

18 – Abrangência do projeto técnico de implantação

•  Estudos limnológicos, topográficos e planialtimétricos na área de implantação do empreendimento.

•  Elaboração de projetos técnicos para construção de infra-estrutura básica – canais, monges, sangradouros – para possibilitar o escoamento da água por gravidade, e assim, abastecer e esvaziar os viveiros e barragens, de recria de Jacaré e Pirarucu.

•  Elaboração do “Projeto Ambiental de manejo sustentável“ de Jacaré Açu ( Melanosuchos Nigger ) para ser remanejado da Reserva Extrativista do Cuniã e adjacências para povoar o empreendimento.

•  Elaboração do Projeto Técnico Ambiental / PCA – Plano de Controle Ambiental, para viabilizar o manejo das espécies junto aos Órgãos Ambientais competentes, para o empreendimento.

•  Elaboração do projeto técnico para a construção de infra-estrutura em madeira e tambores metálicos para servirem de suporte a 100 tanques rede para criação de Pirarucu.

•  Elaboração do projeto técnico para a construção de infra-estrutura dos módulos de tanques-rede, 100 unidades de tanque-rede, em tela de aço inox, revestida de PVC, com as dimensões:

10 m (comp.) x 10 m ( larg. ) x 3 m ( alt. )

300 m3 cada tanque, totalizando 30.000 m3

•  Elaboração do projeto técnico para a construção de 120 m de passarelas sobre a água do viveiro semi-natural principal, para dar acesso aos tanques rede.

•  Elaboração do projeto técnico para a construção do pavilhão para a fábrica de ração.

•  Elaboração do projeto técnico para a construção das residências, o escritório de administração geral, a unidade de processamento de pescado, dos canais de abastecimento de água e escoamento, da Casa de Força, da Caixa de Água para abastecimento das residências.

•  Promover o abastecimento com as espécies:

Pirarucu ( Arapaima gigas )

Jacaré Açu ( Melanosuchos niger )

18.1 Consultoria e serviços a serem prestados

I - Elaboração do Projeto Técnico-Econômico para Aqüicultura em Regimes Semi-intensivo e Intensivo de Pirarucu e Jacaré. Custo 5% sobre o valor do projeto.

II - Implantar e acompanhar o projeto técnico em todas as fases

III - Consultoria Executiva, custo 3 % sobre o valor do projeto

1 ª parcela de 30% para cobrir despesas iniciais, diagnósticos, projeto técnico, a serem pagos na assinatura do contrato.

2 ª parcela de 70% no ato de entrega de todos os projetos propostos, 60 dias após a assinatura do contrato.

19 – Informações Complementares:

Pirarucu Fonte: SEBRAE

•  Grau de Risco: Mínimo

•  Produção mínima por hectare: 2 Ton./Ano

•  Ciclo mínimo: 2 anos

•  Densidade por hectare: 30,3 peixes adultos

•  Área mínima: 33.000 m2 de espelho de água

•  Crescimento: O Pirarucu chega a desenvolver 1 Kg de peso por mês ou 10 Kg a 12 Kg por ano

•  CUP - Custo Unitário de Produção:

Custo Fixo + Custo de Produção

CUP = ---------------------------------------- = R$ 1,23/ Kg

Produção anual

•  PU – Preço Unitário

CUP

PU = --------------------------------------------------------------- = R$ 3,30

1 – (% Taxas sobre vendas + % Margem de lucro)

20 – Que mercado é o Brasil ?

Porque a maioria das grandes empresas Européias, Norte Americanas e Japonesas estão afirmando que o seu maior portfólio de investimentos para os próximos 10 – 15 anos será nesta região do Mundo ?

Nos corredores do Fórum Econômico Mundial , em Davos, os Ministros e demais autoridades declaravam sua intenção de investir no Brasil nos próximos anos, o que nunca haviam pensado.

Que mercado é o Brasil ?

Para analisarmos o potencial Brasileiro com uma consciência crítica, temos que saber que o Mundo tem o que se chama de Mercado Maduro.

Mercado Maduro , é o mercado em que o crescimento de consumo é equivalente ao incremento vegetativo da população, ou seja, se a população cresce aumenta o consumo. Se não cresce, o consumo continua idêntico.

Assim, o consumo de cerveja nos EUA por exemplo, cresceu 2% acumulado nos últimos 5 anos, e deverá crescer apenas 2% nos próximos 5.

No Japão, 35 municípios exigem um atestado que diga que a pessoa tem onde guardar o carro, para que uma concessionária possa vender um automóvel novo – problema de espaço vital.

O consumo de biscoitos na Inglaterra não cresce há mais de 10 anos.

Esses Mercados Maduros – EUA, Europa , Japão – que sediam empresas igualmente maduras – IBM, Toyota, Eletrolux, etc -- precisam de Mercados Emergentes, onde o crescimento de consumo seja maior do que o incremento vegetativo da população.

Os maiores Mercados Emergentes no Mundo, hoje, são o Brasil, China e Índia ; porém, a China tem 76% da sua população em campesinato, a Índia tem 72% enquanto o Brasil tem 22%.

O Brasil é assim, o país por exelência, pronto a consumir produtos de tecnologia Ocidental.

Segundo od dados da A.. C. Nielsen , o Brasil cresceu nos últimos 5 anos:

•  859% em fraldas descartáveis

•  369% em mistura para bolos

•  310% em alimentos para gatos

•  282% em leite flavorizado

•  273% em alimentos para cães

•  219% em leite longa vida

•  201% em massas instantâneas

•  176% em cereais matinais

•  116% em carnes congeladas

•  81 % em água mineral

O Brasil é hoje um País que apresenta alguns dados impressionantes:

•  1,3 milhão de lavadoras de roupa. 82% mais que o Canadá, 4º do Mundo

•  8,02 trilhões de litros de refrigerantes.343% mais que o Canadá, 3º do Mundo

•  Us$ 1,3 bilhão em alimentos Diet ou Light.Us$ 100 milhões em 1990.Us$ 6 bilhões em 2010

•  63,4 mil toneladas de creme dental.456% mais que a Itália

•  51,4 mil títulos de livros. 12% mais que a Itália

•  Us$ 1,2 bilhão de CD's. 5º maior mercado fonográfico do Mundo.

•  681,9 mil toneladas de biscoitos. 27% mais que o Japão e 2º maior do Mundo.

•  30 milhões de geladeiras. 66% maior que o Reino Unido. 4º maior do Mundo

•  11 milhões de usuários da Internet. 95% das declarações de Imposto de Renda foram enviadas via Internet. 40% do total da América Latina 2 vezes mais que o México.

Só a Classe Média e Emergente no Brasil hoje, representa 35 milhões de famílias ( IBGE ). Assim, a classe média e emergente no Brasil, é:

•  8 % maior do que a da Alemanha

•  Maior do que as da Rep. Checa, Bélgica, Portugal Hungria, Suécia, Áustria, Suíça, Finlândia, Dinamarca, Noruega, Irlanda, Nova Zelândia,Luxemburgo e Islândia juntos.

•  Maior do que a França e Canadá juntos.

•  Igual a 1/3 da população dos EUA

•  72% da população do Japão

O Brasil representa 42% do PIB da América Latina incluindo o México. O PIB Brasileiro representa 13,3 % do PIB total dos países em desenvolvimento, incluindo a China. O PIB da Argentina equivale ao interior do Estado de São Paulo. O PIB do Chile equivale ao da Grande Campinas. O PIB do Uruguai equivale ao Bairro de Sto Amaro em São Paulo. ( Ernest and Young )

As empresas Portuguesas e Espanholas no Brasil, são maiores do que na Espanha e em Portugal.

As empresas multinacionais estão investindo no Brasil, porque o Brasil é o 5º País do Mundo em poder de compra, com mais de Us$ 1 Trilhão em Purchasing Power Parity. Hoje o ranking é: EUA, China, Japão, Alemanha, Brasil.

Se o Brasil tem 32 milhões de pobres, tem paralelamente 120 milhões de não pobres, e isso representa muito num Mundo de Mercados Maduros.

As empresas de Consultoria Financeira Internacionais, apontam para que dentro de 3 a 4 anos, o Brasil tenha Taxas de Juros Internacionais. Isso significa empréstimos para crescimento a Juros de 10% a 12 % ao ano; significa também que o consumidor Brasileiro poderá consumir mais, criando o Círculo de Crescimento de Mercado.

Como a empresa Brasileira é das mais líquidas do Mundo ( não deve muito a Bancos, porque se dever quebra ), o crescimento será exponencial.

21 – Capital Estrangeiro e Remessa de Divisas ao Exterior

A Legislação básica que rege o Capital Estrangeiro no Brasil, está consolidada nas Leis 4131 de 1962 e 4390 de 1964, regulamentadas pelo decreto 55.762/65, diplomas legais complementados pela Lei 9.429 de Dezembro de 1995.

São recursos estrangeiros : Os recursos introduzidos no Brasil para investimento em atividade econômica, cujos detentores – pessoas físicas ou empresas -- residam, estejam domiciliadas ou possuam sua matriz no exterior.

Uma vez internalizado, o capital estrangeiro tem igual tratamento, legal ou fiscal, que os de origem Nacional, sendo vedado, pela Constituição, qualquer descriminação.

O capital estrangeiro investido no Brasil, bem como remessas para o exterior, devem ser registrados no Banco Central. O conceito de Capital Estrangeiro Registrado, é crucial para investimentos no Brasil.

O capital estrangeiro registrado, dá ao investidor o direito de converter moeda local em moeda estrangeira, quando o investimento é vendido ou quando gera dividendos.

Não havendo registro no Banco Central, não poderá haver remessa de dividendos ou capital para o exterior.

O Investidor Estrangeiro, pode remeter para o exterior, os frutos do seu investimento, seja sob a forma de dividendos ou de ganhos de capital. Os ganhos de capital são provenientes da redução do capital, liquidação ou venda do investimento no Brasil.

Não hexiste limite para o montante de lucros que podem ser remetidos como dividendos para o exterior, estando os mesmos isentos do pagamento de Imposto de Renda Retido na Fonte, de 15%.

O investidor estrangeiro pode remeter os ganhos de capital sem estar sujeito a

Tributação, desde que não ultrapasse o montante de capital estrangeiro registrado. Remessas superiores a este valor estão sujeitas a um Imposto Retido na Fonte , de 15%.

22 – Considerações Finais

Por todos os dados anteriormente expostos e considerando:

•  Que se trata de um projeto de extrativismo remanejado, perfeitamente de acordo com as Leis de Proteção ao Meio Ambiente;

•  A contribuição ao equilíbrio ecológico na região a que o projeto conduz;

•  O estímulo que pode levar à implantação de outros projetos similares, criando então postos de trabalho em escala significativa para a população autóctone, que sobrevive da natureza, sem qualquer orientação de reposição e remanejamento;

•  Todo o potencial de infra-estrutura natural já existente, necessária à implantação do empreendimento, e toda a economia a que toda essa infra-estrutura leva, na supressão de uma verba inicial significativa;

•  Todo o pacote de facilidades e apoio tecnológico por parte do Ministério do Meio Ambiente, através do IBAMA/CNPT, por se tratar de um projeto pertinente e que se direciona aos objetivos governamentais, no que concerne ao equilíbrio ecológico, à proteção ao Meio Ambiente, ao incentivo à economia extrativista e à conscientização de que se pode viver da natureza, do lado da natureza e não em posição antagônica, adversária, destruidora;

•  A dimensão que o empreendimento pode atingir, apesar de começar de forma despretensiosa;

•  Da gama de outros negócios paralelos, mas complementares, dentro das prioridades realçadas pelo IBAMA;

•  O potencial de retorno financeiro;

•  O curto prazo do retorno financeiro

•  As carnes brancas, com baixas taxas de gordura e colesterol, têm a demanda aumentada a cada ano;

•  Que, comparando com outros sistemas de produção de proteína animal (gado bovino, suíno, caprino e avicultura) a aqüicultura excede-os entre 2 a 4 vezes; a produção de peixes cresce a uma taxa de 10,2 % ao ano, contra 2,8 % para todos os outros produtos.

•  Que é um negócio emergente e atual, que ao que tudo indica só tende a crescer;

Conclui-se que é um empreendimento para ser encarado com destemor e confiança, na certeza de se ter um retorno financeiro significativamente compensador e a curto prazo.

23 – Fontes de pesquisa:

•  Publicações SEBRAE

•  Publicações IBAMA/CNPT

•  Palestras: “Corredor Ambiental” IBAMA/CNPT/SEDAM.PVH-RO

“ Internacional de Direito Ambiental” OAB-RO/Pace

University/ONU/IUCN/UNEP. PVH-RO – Prof.Jordan

Young, Drª Catherine Tinker,DrªAnne Powers, Dr.Robert

Golstein, Prof. Nicholas A. Robinson.

•  Biblioteca Vida, Editora Três “ Aprenda a Criar Jacaré “

•  Sites Internet: FIEAM-Federação das Indústrias do Estado do

Amazonas.

Ruralnews

CNPT/IBAMA-RO

Redeglobo

Colégio Senhora da Penha

Bioterium

Telasguará

•  Revista Globo Rural

•  Imprensa Especializada

•  Engº Antônio de Almeida Sobrinho, Engº de Pesca

24 – Anexos:

•  Tanques-rede

•  Pirarucu (Arapaima gigas)

•  Jacaré Açu (Melanosuchos Nigger)

•  Recortes de artigos sobre aquicultura

 

 

 

grande resistência ao manuseio. São compostos de tampas, móveis em duas bandeiras, contra predadores, com cadeado, elos par fixação de tela sombrite, bombonas facetadas de 50 litros, acopladas a estrutura pelo sistema de suporte com travamento por pressão. Preparadas para pintura com uma demão de antiferrugem e pintadas com tinta esmalte sintético, garantem uma longa vida útil.

 

Indicações

Os Tanques Rede para Piscicultura Guará são apropriados para criação das mais variadas espécies de peixes para engorda. São indicados para locais onde existem predadores como lontras, piranhas, traíras, tucunarés, garças, pássaros pescadores e outros. Assim, garantem segurança em açudes, represas, barragens e reservatórios.

Vantagens

Maior facilidade no manuseio.

Seleção de lotes de peixes para venda.

Melhor resultado na conversão de peso.

Controle preciso de mortandade, evolução de pesos, seleção de tamanho de peixes por tanque rede.

Precisão no controle de quantidade de ração, que é consumida somente pelos peixes e não por invasores.

Redução de até 50% na profundidade, facilitando a despesca.

Montagem e instalação simples, permitindo troca de local com grande agilidade.

Acompanha manual de montagem.

Menor custo de implantação, reduzindo o tempo de retorno do seu investimento.

 

O Jacar-açu Melanosuchus niger é o maior predador da América

Continental, com registros de atingir seis metros de comprimento total.

Apesar de todo o seu tamanho, o jacaré-açu é considerado uma espécie

pacata.

São 5h30 da manhã e nós estamos indo para o lago do Acará tentar encontrar o poço dos jacarés. Segundo os pescadores, é lá que existe a maior concentração de jacarés açu da Amazônia !

Para chegar no poço dos jacarés, a gente precisa usar uma trilha que só existe durante quatro meses, o restante do ano, toda essa área é alagada.Outra surpresa - uma manada de búfalos surge no meio das árvores, correndo em nossa direção. Depois do susto, mais dificuldades: para atravessar os riachos precisamos nos equilibrar sobre troncos de árvores submersos.

Seguimos em frente e chegamos ao centro de um imenso lago seco - o lago do Acará. O ciclo das águas também deixa aqui as suas marcas: no chão, milhares de esqueletos de peixes. Conforme a água vai baixando, o peixe vai procurando, vai se amontoando procurando aonde tem ainda recurso aquático - água! Conforme vai secando, vai acabando o oxigênio da água e os peixes vão morrendo.

Chegamos ao poço dos jacarés! Eles passam o dia com a cabeça fora d. água, só esperando o momento certo do ataque. Bem no meio dos jacarés, um grupo de pescadores corre risco de vida, nas pequenas canoas .

 

O fundo do poço está repleto de jacarés. Nas margens, não há terra firme. Os pescadores chegam com os cestas lotados - ganharam a disputa com os jacarés - são tamuatás, cambutis e bodós.

Estamos dentro do poço dos jacarés! É um pequeno lago com pouco mais de 500m de diâmetro, é o que sobrou do lago do Acará. Os biólogos do Ibama calculam que aqui vivam mais de 2000 jacarés açus, que são considerados os maiores e mais perigosos jacarés da Amazônia.

De couraça negra, o jacaré Açu, na idade adulta, pode alcançar até seis metros de comprimento. É a maior espécie brasileira. O jacaré açu está na lista oficial de animais ameaçados de extinção, mas o biólogo Ronis da Silveira, um dos maiores especialistas em jacarés do país, discorda.

" Nós acreditamos que não faz mais sentido essa espécie estar na lista de animais ameaçados. Ele entrou nessa lista em 89, na época não tínhamos informação e ele entrou como animal ameaçado. Mas um dos motivos principais é que os levantamentos da espécie foram feito ao longo dos grandes rios amazônicos. Nós descobrimos que essa espécie vive no interior nos lagos mais internos, e não ao longo dos grandes rios."

O pirarucu Araima gigas é o maior peixe predador das florestas inundadas

amazônica, e chega atingir até 3m de cumprimento e 200 kg de peso. Na

Reserva Manurauá, eles podem ser facilmente vistos e ouvidos atacando

peixes, quando sobem à superfície para respirar .

Pirarucu - Lago do Cuniã

 

O Pirarucu é um dos maiores peixes da região, muitas vezes chamado “bacalhau da Amazônia”. Este exemplar, pescado no Lago do Cuniã, cerca de 100Km de Porto Velho, tinha 2,5m de comprimento. O lago está inserido em uma unidade de conservação ambiental (RESEX do Cuniã, sendo permitida apenas a pesca de sobrevivência aos moradores tradicionais da região do entorno do lago.

 

Módulo de 6 unidades de Tanques-rede, com volume de 18m³, confeccionados com madeira, cano de PVC, tela

de polietileno, com 2 cm de malha e tambores metálicos de 200 litros.

 


Perfil de uma unidade de Tanque-rede com as dimensões de 3 m de cumprimento x 3 m de largura x 2 m de profundidade